fundo parallax

Astigmatismo e ceratocone

 

O astigmatismo representa uma anormalidade na córnea, caracterizada pela diferença de curvaturas de sua superfície.


S e tais curvaturas forem rigorosamente iguais, os feixes luminosos provenientes do exterior irão formar uma imagem puntiforme sobre a retina. Se forem diferentes, a imagem será astigmática ( = falta de um ponto nítido ). Existem diversas formas de se corrigir o astigmatismo : com óculos, com lentes de contato especiais chamadas tóricas ou com cirurgia a laser (Excimer).

E, nos casos de seus portadores apresentarem catarata, a cirurgia de sua remoção seguida da implantação de cristalinos artificiais, permite o implante de lentes tóricas. Estas novíssimas lentes artificiais exigem cálculo adequado e sua perfeita centralização dentro do olho, fazendo coincidir seu meridiano com o eixo do astigmatismo a ser corrigido. Estas modernas lentes ainda permitem corrigir a miopia e a hipermetropia associadas a ele.

 
 

Todos estes avanços acarretam um benefício sem precedentes na melhoria considerável da visão do ser humano e, em expressivo número de casos, libertam os pacientes operados de catarata da dependência quase total do uso de óculos.

E falando de astigmatismo, é bom lembrar que quando ele extrapola em muito determinados valores, acompanhado de sucessivas trocas de óculos, torna-se necessário avaliar se o paciente não está desenvolvendo uma doença corneana conhecida como ceratocone. De caráter hereditário, esta alteração costuma se manifestar na adolescência e pode ir se agravando ao longo de algumas décadas. Para impedir sua contínua evolução, a oftalmologia pode se valer de lentes de contato rígidas, de lentes esclerais, de implantes de anéis intraestromais ou, ainda, de um procedimento terapêutico conhecido como crosslinking. Neste tipo de tratamento, realizado em centro cirúrgico e sob anestesia tópica, após abundante instilação de uma substância chamada riboflavina na córnea, ela é exposta a irradiação por um tipo especial de laser que provoca o seu “enrijecimemento”, evitando a piora do ceratocone.

Se este tipo de terapêutica não é aplicada no momento adequado por alguma razão, com o agravamento da doença, se fará necessária uma cirurgia de transplante de córnea no futuro.